Frente Parlamentar já é uma realidade

Frente Parlamentar já é uma realidade

Baguete

Com a presença do ministro de Ciência e Tecnologia, Eduardo Campos, e composta por 60 deputados e 16 senadores, foi instalada nesta terça-feira, 18, em Brasília, a Frente Parlamentar da Informática. A organização elegeu como uma das prioridades trabalhar pela inclusão digital. Os deputados Júlio Semeghini (PSDB-SP), Sérgio Miranda (PC do B-MG) e Renato Casagrande (PSB-ES), líder do PSB, foram eleitos coordenadores da frente.
Segundo o presidente da Frente Parlamentar de Informática, Julio Semeghini (PSDB/SP), o objetivo é contribuir para a formação de uma política de desenvolvimento tecnológico sustentável e de uma indústria de Tecnologia da Informação sólida e competitiva. Os deputados federais acreditam que a Frente deve atuar em defesa das conquistas já alcançadas pelo setor, pela criação de um marco regulatório adequado e pela continuidade do desenvolvimento de uma sociedade do conhecimento brasileira justa e igualitária, que observe as necessidades do processo de inclusão social, econômica e digital.

Entre os senadores que prestigiaram o lançamento estavam Cristovam Buarque, Paulo Otávio, Paulo Paim, José Jorge, Roberto Saturnino e os três do Espírito Santo, uma grande quantidade de deputados federais, dentre os quais Beto Albuquerque (PSB-RS), Feu Rosa (PP-ES), André Zacharov (PP-PR), José Roberto Arruda (PFL-DF), Eduardo Paes (PSDB-RJ), os diretores da Fenainfo Benito Paret (também presidente do Seprorj), Luigi Nese, José Carlos Rego, José Cláudio de Oliveira, Gisele Oliveira, Márcio Girão e Leonardo Bucher, além dos presidentes do Seprorgs, Renato Turk, e do Seprope, Joaquim Costa. Letícia Batistela representou a Assespro-RS.

De acordo com o diretor da Fenainfo, Leonardo Humberto Bucher, com a frente será mais fácil defender os interesses da categoria. O lançamento ocorreu no auditório do Interlegis, no Senado, e contou com a presença de mais de 110 empresários nacionais e estrangeiros, representantes de sindicatos patronais e laborais do setor e dirigentes de associações e instituições de pesquisa, além do presidente da Anatel e representantes de ministros. No Brasil existem 17 sindicatos de empresas do setor de informática. Destes, 16 integram a Fenainfo representando 45 mil empresas que faturam, por ano, 8 bilhões de dólares e geram mais de 400 mil empregos.